O Autor - Quino

1932. QUINO, Joaquín Salvador Lavado, nasce, filho de imigrantes espanhóis, andaluces, na cidade de Mendoza (Argentina) em 17 de julho emboranos registros oficiais conste que nasceu em 17 de agosto. Desde que nasceu o chamaram de Quino para distinguir-lo de seu tio Joaquín Tejón, pintore desenhista publicitário, com quem aos 3 anos descubriu sua vocação.

1939: Começa a escola primária onde descobriu que seu verdadeiro nome é Joaquín e vive as dificuldades de seu personagem Felipe: “Meangustiava tanto que nos primeiros três meses tinha notas ruins, mas depois terminava o ano com notas altas, embora nunca fosse o primeiro alunoe isso me deixava chateado”.

1945: Morre sua mãe, termina a escola primária e decide inscriver-se na Escola de Belas Artes de Mendonza. Aparece em Buenos Aires a revista“Rico Tipo”, dirigida por Divito. Publicar nela é o sonho de Quino.

1949: Morre o pai. “Cansado de dibujar ánforas y yesos” abandona a Escola de Belas Artes. Pensa em uma só profissão possível: desenhista de quadrinhos e humor.

1950: Consegue vender sua primeira história em quadrinhos. “ Lembro que era para uma loja de seda y que se chamava Sedalina, mas prefiro nãotratar de pensar como era essa publicidade, porque certamente me vergonharia.”.

1951: Quino viaja a Buenos Aires e percorre  todas as redações e revistas possíveis. Três semanas depois volta a Mendonza sem ter conseguidotrabalho.

1953:  No ano do serviço militar, outro motivo para sentir-se “terrivelmente angustiado. Pensava que nunca iria sair dalí e tinha vontade de matar atodos, mas dividir minha vida com rapazes de diferentes classes sociais.... Foi uma ruptura muito grande, um enriquecimento. Começei a desenharalgo diferente”.

1954: Se insatala em Buenos Aires. Continua o perambular pelas redações. “Sofri muito porque vivia em condições muito precárias. Dividi um quartode pensão com três ou quatro pessoas”. O semanal “Esto es” de Buenos Aires, publica sua primeira página de Humor Gráfico que se alterna semanalmentee com outro desenhista. “ O dia que publicaram minha primeira página passei o momento mais feliz da minha vida”. A partir deste anofoi publicando em diversos meios “Vea y Lea”, “Leoplán”, “Damas y Damitas”, “TV Guía”, “Usted”, “Che”, “Panorama”, “Adán”, jornal “Democracia”, etc. Desde então até hoje seus quadrinhos humorísticos são publicados ininterrumpidamente em infinidade de jornais e revistas de America Latina e Europa.

1957: Consegue um de seus objetivos como desenhista: publicar regularmente em “Rico Tipo”. Também o fará em “Dr.Merengue” e “Tía Vicenta”. Divito o exige que seus desenhos sejam com textos.

1960: Se casa com Alicia Colombo. Não teve filhos. A lua-de-mel no Brasil é a primeira saída da Argentina. No Rio de Janeiro se encontra pela primeira vez com colegas e editoriais estrangeiros.

1963: Aparece seu primeiro livro de humor, “Mundo Quino”, uma reedição de desenhos aminados gráficos com prólogo de Miguel Brascó. O mesmo Brascó o apresenta a Agens Publicidad, que procura um desenhista para criar um quadrinho “mistura de Blondie e Peanuts” para publicar o lançamento de uma linha de produtos eletrodomésticos chamados Mansfield, razão pela qual o nome de alguns dos personagens deviam começar pela letra M, daí Mafalda. Agens não faz sua campanha, mas Quino fica com poucas tiras.

1964: Depois de 10 anos publicando os quadrinhos de humor, que continuan sendo criandos até a atualidade ininterrupidamente, aparece Mafalda pela primeira vez em “Gregorio”, suplemento de humor da revista “Leoplán”, que publica 3 tiras. Em 29 de setembro o semanal “Primera Plan” de Buenos Aires, começa a publicar Mafalda regularmente.

1965: Em 9 de março Quino termina a relação com “Primera Plana”. Mafalda se muda para o jornal “El Mundo”

1966: Jorge Álvarez Editor publica o primeiro livro de Mafalda que reúne as primeiras tiras em ordem de publicação, tal como se fará nos seguintes. Saí pelo Natal e sua tirada de 5.000 exemplares se esgota em dois dias.

1967: Em 22 de dezembro fecha o jornal “El Mundo” e a tira fica interrompida. Jorge Álcarez Editor publica o segundo livro de Mafalda com o título de “Así es la cosa, Mafalda”.

1968: Em 2 de junho se reata o quadrinho em “Siete dias”. Aparecem “Mafalda 3” e “Mafalda 4”. Trinta tiras são traduzidas ao italiano e incluidas em uma antologia de textos literários e desenhos humorísticos que se entitulou “Libro dei Bambini Terribili per adulti masochisti”. Quino viaja pela primeira vez a Europa para percorrer Paris, Londres e Madri exclusivamnete.

1969: Aparece “Mafalda 5” na Argentina, o último livro com o selo de Jorge Álvarez Editor. MAFALDA pela primeira vez no estrangeiro: na Itália se edita o primeiro livro, “Mafalda la Contestaria”, com a apresentação de Umberto Eco, diretor da coleção.

1970: Edições De La Flor publica a sexta reedição de tiras, “Mafalda 6”, y desde então até hoje é a única ediotra de seus livros na Argentina. Na Espanha, Editorial Lumen lança o primeiro livro de Mafalda e a censura do governo franquista obriga aos editores a colocar-lhe uma faixa na capa que diz “para adultos”. Também em Portugal se edita Mafalda sob o selo Dom Quixote. Primeiro livro de humor gráfico no estrangeiro: Na Itália, Editorial Bompiani edita “Mondo Quino”.

1971: Edições de La Flor edita “Mafalda 7”.

1972: A editorial Século XXI, do México, publica “A mí no me grite”, segundo livro humor gráfico de Quino; Edições De la Flor apresenta o oitavo livro de Mafalda, “Mafalda 8”. Na Espanha o selo Lumen edita “Mundo Quino”. Na Finlândia se publicam 3 livros de Mafalda sem muito êxito. Dada a proliferação de produtos piratas com a figura de Ma falda, Quino aceita assinar um contrato de merchandising e um contrato com Daneil Mallo para realização de uma série de curta-metragem baseado nos quadrinhos. 

1973: Em 25 de junho Quino se despede formamente dos leitores de “Siete días” e não voltará a desenhar novas tiras de Mafalda. Quino passará a publicar neste semanal suas páginas de humor que até este momento publicava “Panorama”. Edições de La Flor edita “Mafalda 9” e Século XXI, México, o terceiro livro com reedições de humor gráfico: “Yo que usted”. Primeiros livros de Mafalda na França e na Alemanha com escasa repercurção. Primeiro libro de humor em Portugal: “Não me Grite”.

1974: Edições de La Flor lança a última reedição das tiras de Mafalda: “Mafalda 10”. Primeira viagem de Quino aos Estados Unidos.

1976: Em março, Quino e Alicia se mudam para Milão: “A Patria significa juventude, por tanto o fato de estar longe dela fez que meu humor se tenha voltado um pouco menos vivaz, mas talvez um pouco mais profundo”. Primeiro livro de humor na Alemanha.

1977: A pedido de UNICEF, ilustra com Mafalda e os persongens de sua tira a Edição Internacional da campanha mundial da Declaração dos Direitos das Crianças. No México se inicia a edição de livros Mafalda.

1979: Na França, Editions Glénat, edita o primeiro livro de Mafalda em cores.

1980: Quino deixa “Siete días” e passa a publicar suas páginas de humor na revista dominical do diáro “Clarín”.

1982: É eleito pelos seus colegas de todo o mundo Desenhista do Ano. Como tal, preside o jurado do Salão Internacional de Humorismo de Montreal, Canadá. Se lhe outorga o Prêmio Konex de Platino: Artes visuais- Humor Gráfico. No Brasil se publicam somente três livros de Mafalda e uma comunidade de uruguaios residente na Suécia publica os livrinhos de Mafalda. 

1983: Quino retoma os presonagens de Mafalda para ilustar uma capanha lançada por odontologistas argentinos (LASAB) sobre a higiene bucal. Na Grécia publicam o primero livro de humor de Quino.

1984: Convidado para integrar como jurado do Festival de Cinema Latino-americano de Havana, viaja a Cuba, onde começa sua amizade com o diretor de cinema de animação Juan Padrón e assina um contrato com o ICAIC para a realização de curta metragens com suas páginas de humor. A série se chama Quinoscopios, dirigidos por Juan Padrón sobre desenhos e idéias de Quino. Com motivo do festejo pelo advento da democracia na Aregentina, a fundação San Telmo ornaniza uma amostra retrospectiva em Buenos Aires; a fins de novembro se organiza outra amostra em Mendonza, sua cidade natal. Na Itália se festejam ao 20 anos de Mafalda. Na Espanha se publicam os únicos quatro livros de Mafalda em galego. Na Dinamarca saí o primeiro e único livro de Mafalda.

1986: Mafalda é a protagonista de uma campanha publicitaria para promover as primeiras eleições dos Conselhos Escolares na Espanha. Por primeira e única vez se publica um livro de humor nos Estados Unidos: “The world of Quino”. Foi um dos ganhadores, entre outros latino-americanos, da Segunda Bienal Internacional de Artes Plástica da Havana.

1989: Para celebrar os vinte e cinco anos da publicação da primeira tira de Mafalda, Edições de la Flor apresenta “Mafalda Inédita” em uma exposição de desenhos originais e de documentos organizada no Teatro San Martín de Buenos Aires. 

1990: Em Taiwán se publicam edições piratas de Mafalda no idioma chinês, que ao final de dois anos regularizam a situação.

1992: A Sociedade Estatal Quinto Centenário organiza em Madri uma grande amostra de 1.200 m2 chamada “El Mundo de Mafalda”, na qual além de exibir um curta metragem realizado em Cuba por Juan Padrón sobre o desenho de Quino de Mafalda com Colón, e se publica um catálogo com o nome da amostra. Se lhe outorga novamente o Prêmio Konex de Platino: Artes Visuais – Humor Gráfico.

1993: A empresa espanhola D.G. Produções S.A, em co-produção com Televisôes Espanholas produz 104 episódios de Mafalda em desenhos animados com 1 minuto de duração dirigidos por Juan Padrón no ICAIC. Em outrubro, Quino realiza uma amostra de humor gráfico no Centro Cultural Recoleta de Buenos Aires organizadda pela Fundação Omega.

1994: Em Milão se celebram os 30 anos de Mafalda com uma reunião no Circolo della Stampa. Se inaugura em Buenos Aires a Praça Mafalda localizada no bairro de Colegiales. Edições de la Flor e Cancillería convidam Quino à Feira do Livro de Bogotá, Colômbia, na qual a Argentina é o país convitado.

1995: Em Milão, o centro de Promoção Argentina do Consulado Geral Argentino organiza uma exposição de desenhos de humor. Em outubro, começa a publicar em semanários de Espanha suas páginas de humor.

1996: Edições de la Flor edita “Cuentecillos y otras alteraciones”, livro de Jorge Timossi ilustrado por Quino com seu personagem Felipe.

1997: Quino assiste à Feira do Livro de Guadalajara, México, na qual a Argentina é o país convidado e o Galardón Arnaldo Orfila Reynal à Trajetória Editorial é outorgado a Edições de la Flor. Recebe em Madri um curioso prêmio: a Placa de Prata, outorgada pela Associação Madrilenha de Empresários de Restaurantes e cafeterias, por haver contribuido com suas manifestações gráficas ao prestigios e a difusão gastronômica. Também se lhe outorga o prêmio da Associação Profissional de Ilustradores de Madri.

1998: Em abril, Edições de la Flor, depois de muitos anos de haver esgotado, reedita o primeiro livro de Quino, “Mundo Quino”, com prólogo do autor.
É nomeado pela Secretária de Cultura do Governo da Cidade de Buenos Aires como Professor de Arte em reconhecimento de sue trabalho. Recebe o Prêmio B`nai`B`rith Direitos Humanos, que essa organização outorga anualmente a pessoas que se destacaram na promoção e defesa destes direitos. Publica sua página web. Em Buenos Aires, o Centro de Arte Moderno de Quilme expõe uma amostra de Humor de Quino.

1999: Em abril, Edições de la Flor reedita o livro “A mí no me grite”. A Livraria Internacional convida Quino a San José, Costa Rica, com a autorização do diario “La Nación”.

2000: Em fevereiro, o Instituto Cubano do livro expõe a amostra O Mundo de Quino no Centro Wilfredo Lam, sub-sede da Nona Feira Internacional do Livro de Havana. Litexa Boliviana S.A. convita Quino a La Paz, Bolívia, com motivo da Feira do Livro, com a autorização de Lloyd Aéreo Boliviano e a prefeitura de La Paz. Nesta oportunidade, a relação estabelecida com o público o levou a comprometer-se a assistir à Feira do Livro de 2001. Na Grécia, com motivo do 5º. Festival Internacional do Humor, Quino expõe uma amostra de seus desenhos e algumas tiras de Mafalda, contando com a autorização do Ministério da Cultura da Grécia, o Município de Atenas e a Unesco. Em outubro é convidado ao Salão Internacional de quadrinhos de Gijón. Com motivo da amostra Ibero-americana de Humor Gráfico, a Universidade de Alcalá de Henares lhe nomea Catedrático Honorável de Humor.
Em novembro, Edições Glénat e Hachette Canadá convidam Quino ao 23º. Salão du livre de Montreal. Em 11 de dezembro, Quino se converteu no segundo premiado com o prestigioso prêmio Quevedo de Humor Gráfico, promovido pelos Ministérios da Educação e Cultura e Assuntos Exteriores da Espanha a iniciativa da Fundação Geral da Universidade de Alcalá. 

2001: Durante julho e agosto se realiza uma amostra itinerante de Humor em Bolivia (La Paz, Cochabamba, Santa Cruz de la Sierra e Tarija). Com motivo da VI Feira Internacional do Livro de La Paz se inaugura a amostra e se realizam diversas atividades com a presença de Quino, tal como havia prometido em sua visita do ano anterior. Todo isto foi possivél graças à Câmara Boliviana do Livro.

A iniciativa da Fundação Geral da Universidade de Alcalá de Henares, entre o dia 4 e 30 de outubre expõe nessa cidade uma retospectiva de sua obra em correspondência com a VIII Amostra Ibero-americana de Humor Gráfico.

Em 15 de outubro recebe o Prêmio bienal Ibero-americano de Humor Gráfico. “Quevedos”, que lhe fora outorgado pela Fundação Geral da Universidade de Alcalá de Henares em dezembro de 2000, o paraninfo da Universidade. Um emotivo ato presidido pelo Secretário de Estado da Cultura, Luis Alberto de Cuenca, com a presença de Antônio Mingote, primeiro Prêmio Quevedos de 1998 e outras importantes personalidades da cultura. 

Entre outrubro e dezembro editam Edições de la Flor na Argentina e Editorial Lumen na Espanha “Esto no es todo”, livro de mais de 500 páginas, reedição de seus melhores trabalhos de humor gráfico., exceto ¡Cuánta Bondad!, selecionadas pelos editores de seus livros de humor. Em janeiro de 2002 será editado também por Tusquests Editores México

Publicações do Quino

Aqui alguns publicações do Quino.

Estes livros se podem comprar na pagina www.amazon.com o www.iberlibro.com. 

Bien, gracias. Y Usted? - Ediciones de la Flor

Yo no fui! -Ediciones de la Flor

 

Humano se nace-Ediciones de la Flor

Jorge Timossi y Quino- Cuentecillos -Ediciones de la Flor

Que mala es la gente! -Ediciones de la Flor

Potentes, prepotentes e impotentes-Ediciones de la Flor

MUNDO QUINO -Ediciones de la Flor 

Cuánta bondad! -Ediciones de la Flor

http://www.mafalda.net/images/mafalda-images/quino7.jpg

Si, cariño -Ediciones de la Flor

Comprar no Amazon España

 

A mi no me grite! -Ediciones de la Flor

Comprar no Amazon España

 

 

Déjenme inventar -Ediciones de la Flor 

Comprar no Amazon España

 

Gente en su sitio -Ediciones de la Flor

Comprar no Amazon España

 

Quinoterapia - -Ediciones de la Flor

Comprar no Amazon España

 

Ni arte ni parte -Ediciones de la Flor

Comprar no Amazon España

 

A la buen mesa -Ediciones de la Flor

Comprar no Amazon España